11 de set. de 2012

Seguro garante sossego.



Especialistas na área dizem que seguro bom é aquele que atende a todas as necessidades do motorista

Artigo de luxo até a década passada, o seguro de automóveis é um produto cada vez mais popular na classe média. Digamos, até, indispensável para muita gente. Principalmente para quem tem uma vida movimentada como Inaura Seixas, que trabalha com a venda de cosméticos e passa o dia visitando clientes no carregado trânsito do Recife. “Sair de carro agora sem seguro nem pensar”, diz ela, que acaba de comprar um Chevrolet Celta ano 2007 e pela primeira vez na vida contratou o serviço de proteção. E o sacrifício de ter pago quase R$ 1,5 mil pelo seguro parece ter sido um dos grandes investimentos dela este ano, pois além de proteger o seu bem, a apólice lhe deixa tranquila contra possíveis acidentes que possam vir a acontecer. Assim como ela, milhares de motoristas estão sentindo o gostinho de rodar com o carro protegido. Esse gigantesco mercado que acompanha o crescimento da indústria automotiva, baixou de preço em relação ao passado e hoje protege quase 700 mil veículos só em Pernambuco. Dados da Federação Nacional das Empresas Corretoras de Seguros (Fenacor) mostram que 30% dos quase 2 milhões de veículos cadastrados no Detran-PE possuem alguma proteção contra roubo, acidentes e incêndio.

O valor exato que cada um paga depende do ano e modelo do carro, perfil do motorista, mas o mercado crescente cria modalidades diversas para facilitar o ingresso de novos segurados. Fatores como aumento da violência e o ganho do poder de compra dos trabalhadores ajudaram a proliferação das apólices. Ninguém discute a importância do serviço que leva tranquilidade. E, agora, por um valor mais em conta. Se há dez anos o seguro de um carro zero-quilômetro ficava perto de 10% do valor do veículo, atualmente sai por menos de 5%. Mas o interessado em contratar esse serviço precisa se cercar de uma série de procedimentos para não ter dor de cabeça do futuro ao tentar receber a indenização (se houver necessidade) e se precaver para evitar gastos extras pagando por serviços desnecessários, dizem os especialistas. “Seguro bom não é o mais barato. É aquele que se encaixa bem no perfil do motorista e atende às necessidades dele”, comenta Carlos Alberto Valle, vice-presidente da Fenacor e um dos grandes especialistas em seguros de Pernambuco. Segundo ele, muita gente se apega ao preço quando essa seria a última pergunta a ser feita.

Assistência 24h com planos a partir de R$ 15,90 mensais! ACESSE AGORA

0 comentários:

Postar um comentário

De a sua Opinião ou tire suas dúvidas.